Arquivo por tag: hana

nov 12 2011

SAP HANA – Conceitos e Arquitetura

No artigo de hoje falaremos mais um pouco sobre um conceito novo de se fazer BI, onde a SAP mais uma vez inovou e está trazendo para o mercado o SAP HANA. Nesse artigo falaremos de conceitos e um pouco de arquitetura para que possamos começar a entender melhor essa
tecnologia que está mudando os conceitos de projetos de BI realizados até hoje.

1 – O que é o SAP HANA?

O nome SAP HANA vem do SAP In-Memory Appliance. O SAP HANA pode ser entendido como uma fonte de dados independente, que permite aos clientes analisar grandes volumes de dados SAP ERP em tempo real.  O SAP HANA é uma combinação de Hardware e Software que integra uma séria de componentes SAP incluindo o SAP In-Memory Database.

2 – Como funciona o SAP In-Memory Database?

O SAP In-Memory Database é um banco de dados híbrido que combina linha com colunas. Ele é otimizado para explorar o processamento paralelo.  O Banco de Dados SAP In Memory é o cerne de ofertas que a SAP disponibiliza nessa tecnologia como o SAP HANA que ajudam os clientes a melhorar a sua eficiência operacional, agilidade e flexibilidade.

3 – Tecnologias de Replicação do SAP HANA

Para que possamos ter relatórios e análise de dados de negócio o SAP HANA exige uma replicação dos dados a partir de um sistema de origem para o SAP In Memory Database. Nessa parte do artigo mostraremos uma visão geral dos possíveis métodos de replicação de dados que estão disponíveis para o SAP HANA 1.0.

A figura acima ilustra a tarefa de carregamento de dados de negócio de um sistema ERP SAP o IMDB (SAP In Memory Database) do SAP HANA.

Existem três métodos para se replicar dados no SAP HANA. Os principais componentes para a replicação de dados em todos os cenários são:

1 – SAP HANA que consiste no IMDB e no SAP In Memory. Interfaces com usuários tais como SAP BO, Dashboards, etc. não fazem parte da arquitetura;

2 – Sistema de origem tais como o SAP ERP;

3 – Componentes de software que suportam diferentes métodos de replicação de dados.

A figura acima apresenta uma visão geral dos três métodos alternativos para a replicação de dados de um sistema fonte para o IMDB. Cada método lida com a replicação de dados necessários de uma forma diferente e, consequentemente, cada método tem vários pontos fortes.
Dependendo do seu campo de aplicação específica e os existentes de um sistema para o IMDB.

Trigger-Based Replication

A Trigger-Based Data Replication Using SAP Landscape Transformation (SLT) Replicator é uma base de captura de alteração de dados em alto nível de abstração no sistema de origem ERP. Esse método de replicação possui os benefícios de ser independente de banco de dados, e também ser paralelizado com os dados alterados no banco de dados em várias tabelas ou segmentado por mudanças em uma grande tabela.

ETL-Based Replication

O ETL-Based Replication são serviços para especificar e carregar os dados de negócio relevantes em um período de tempo definidos a partir de um ERP. Nesse processo pode-se reutilizar a lógica do aplicativo ERP através da leitura ou utilização de extratores dos módulos funcionais da SAP. Além disso, o método baseado em ETL oferece algumas opções para a integração de provedores de dados.

Log-Based Replication

O Log-Based Replication é baseado em uma tabela de log do banco de dados de baixo nível onde a mesma captura todas as modificações nos dados. Este método é dependente do banco de dados. As alterações de dados são propagadas em uma base de dados por transações, que são enviadas ao IMDB.
Cabe ressaltar que esse processo não é capaz de usar paralelismo para a propagação das mudanças nos dados.

4 – Integrações do SAP HANA com os Painéis Gerenciais

Após a instalação de todos os componentes do SAP HANA 1.0, teremos que conectar todos os componentes dos Painéis SAP HANA para que eles possam trabalhar juntos. Para que isso aconteça precisamos estabelecer a conectividade entre os seguintes componentes:

1. SAP HANA box to SAP ERP system

2. SAP HANA box to SAP In-Memory Computing studio

3. SAP HANA box to end user clients

Se estivermos usando os servidores do SAP BO, que não estão no escopo do SAP HANA 1.0, poderemos também fazer as devidas conexões utilizando os seguintes componentes:

1. SAP HANA box to SAP BusinessObjects Enterprise (to use the SAP BusinessObjects BI clients)

2. SAP ERP system to SAP BusinessObjects Data Services (to use Data Services for data replication)

Observem na figura acima que através dos componentes que descrevemos é possível integrar serviços do SAP BO como o Explorer e o Xcelsius ao SAP HANA 1.0.

Bom, espero que tenham gostado do artigo, mais novidades sobre o SAP HANA será postado no blog muito em breve.

Até a próxima.

ago 19 2011

SAP HANA (High Performance Analytic Appliance) – Introdução

Se você esta com dificuldade em acessar os dados com rapidez e em tempo real, a solução pode ser o SAP Hana.

Esta nova modalidade de gerenciamento de dados poderá modificar a forma com que você acesse os dados, pois ele te dará uma velocidade muito maior (aproximadamente 3600 vezes) que um gerenciador de banco de dados convencional e com a vantagem de poder trabalhar facilmente com uma quantidade de dados enorme. Este ganho só é viável pelas características do hardware e software que foram implementados nesta nova ferramenta analítica de negócio. Seguem as características.

– A partir da forma com que os dados são acessados (In-Memory Computing), a velocidade em extrair estes dados se tornou muito grande;
– A nova arquitetura permitiu com que a forma de calcular os dados fosse flexível e poderosa;
– Suporte ao acesso de MDX e SQL para praticamente qualquer fonte de dados, incluindo o universo e o SAP BW;
– Existe um repositório persistente para armazenar as views contendo informações de negocio.

Os componentes expostos acima provêem um ambiente ideal para a análise do negócio, possibilitando a organização em extrair as informações de toda a empresa, informações analíticas e transacionais, explorar estas informações instantaneamente e analisar os dados em tempo real. Cabe ressaltar que estas funcionalidades poderão ser executadas ao mesmo tempo.

Com o In-Memory Computing os dados são armazenados em memória e estes são consultados em tempo real e com uma velocidade muito satisfatória para o usuário.

In-Memory Conputing é um sistema de gerenciamento de base de dados que depende principalmente da memória principal para o armazenamento dos dados. Comparando com os sistemas de gerenciamento de banco de dados comuns, In-Memory Computing é muito mais rápido, pois a arquitetura utilizada permite ter um algoritmo muito mais simples e que utilize menos instruções da CPU.

Alem disso, este método inovador permite acessar menos recursos de I/O quando os dados são solicitados, o que faz com que a consulta fique mais ágil. Esta forma de acesso pode ser utilizada com segurança pelas empresas que necessitem obter os dados em tempo real.

OBS: Esta foi a primeira parte do artigo, porém, em breve, publicarei a segunda parte contendo mais detalhes.

Referencias:
– http://en.wikipedia.org/wiki/In-memory_database
– http://www.sap.com/platform/in-memory-computing/index.epx
– http://www.sap.com